10 jun

no escurinho do cinema

f1

Cenas famosas de filmes viraram diversão nas mãos de Alex Eylar .

james bond

Eylar é estudante de cinema e apaixonado por reconstruir em Lego as cenas de filmes que mais gosta.

Tão importante quanto a escolha do filme e seleção da cena é a iluminação correta e composição da foto.

Conheça um pouco do que ele faz.

Tempos Modernos

tempos modernos

Beleza Americana

Beleza Americana

O Exorcista

O Exorcista

Billy Elliot

Billy Eliot

Star Wars

Star Wars

21 fev

O PRIMEIRO SUSPIRO DE TIM BURTON

Vincent é um garoto queria ser como seu ídolo, o ator americano de filmes de terror Vincent Price.

Vincent, primeiro filme de Tim Burton, é na verdade, um stop-motion autobiográfico.

Fã incondicional de Price, Burton dirigiu esse filme em 1982, quando ainda trabalhava na Disney. 

Esta animação de terror feita para crianças e é a primeira pincelada de toda uma carreira e estilo de filmagem sombrio e fantasmagórico, que o acompanha até hoje.

Mas o gosto pelo terror acompanha Burton desde sempre. Ele descreveu sua infância como peculiar, imaginativa e perdida em seus próprios pensamentos. Fugia da realidade do cotidiano lendo livros sombrios de Edgar Allan Poe e assistindo a filmes de terror de baixo orçamento.

Ah, Vincent Price narra este curta. Dá uma olhada vale a pena…

Vale a pena também:  Tim Burton site oficial.

17 jan

CISNE NEGRO VEM AÍ!

   

Já está na minha lista de favoritos!

O novo filme de Darren Aronofsky, “Cisne Negro” (“Black Swan”), é um thriller psicológico sombrio. O delírio se mistura ao suspense, estampado no rosto de Natalie Portman.

A linda Portman interpreta Nina, uma bailarina perfeccionista e retraída que finalmente ganha a chance de ser protagonista na grande companhia de dança de que faz parte. O diretor (Vincent Cassel) considera-a perfeita para o papel do Cisne Branco em O Lago dos Cisnes, mas ela é doce demais e incapaz de mostrar sensualidade e energia para fazer o Cisne Negro. Os ensaios mostram-se estressantes, com Nina sendo pressionada pela mãe dominadora, pelo diretor, pela inveja das outras bailarinas e por sua própria transformação. Seu lado negro aflora pouco a pouco, num processo alucinógeno.

 

Winona Ryder (que bom, ela está de volta!) e Barbara Hershey também estão no elenco.

Estréia por aqui em 11 de fevereiro. Imperdível.

17 nov

JÁ VIU "LUA DE PAPEL"?

O filme de Peter Bogdanovich está na minha lista de favoritos.

Addie (Tatum O’Neal) é uma linda menina de nove anos. Moses (Ryan O’Neal) é um vigarista profissional que usa a boa aparência para vender Bíblias a viúvas. Moses recebe a ingrata missão de levar a menina do Kansas até o Missouri, onde deve entregá-la na casa da tia, única parente viva. Ele odeia a sugestão, mas não consegue dizer não. E não consegue mais se ver livre dela.

 A partir daí, surge um casal incomum de trapaceiros que percorre as estradas empoeiradas do Oeste americano, durante os anos difíceis da Grande Depressão.

Assistir os dois em cena é um verdadeiro espetáculo. Tatum O’Neal é sem dúvida o grande destaque do filme (ganhou Oscar por sua interpretação). Aos oito anos, a filha verdadeira do então super-astro Ryan – também sensacional no papel do salafrário Moses – simplesmente dá um show de espontaniedade.

    

Filmado todo em branco e preto sua fotografia é também um encanto.

Sou suspeita, adoro o filme . Acho delicado, nostálgico, alegre. Tudo ao mesmo tempo.

Lua de Papel (Paper Moon, EUA, 1973)
Direção: Peter Bogdanovich
Elenco: Ryan O’Neal, Tatum O’Neal, Madeline Kahn, John Hillerman.

07 nov

VAMPIROS DE "CREPÚSCULO" SÃO NOSSOS VIZINHOS

Paraty não é mesmo um lugar mágico?

Esta semana desembarcam por aqui vampiros e ídolos juvenis.

Kristen Stewart e Robert Pattinson – que dão vida na tela a Bella Swan e Edward Cullen, desembarcam por aqui esta semana para filmar cenas de Amanhecer, quarto filme da saga Crepúsculo.

Uma mansão no Saco do Mamanguá, que fica na região de Paraty Mirim (já citei aqui este paraíso)  é o destino mais provável do casal protagonista. O Saco é um dos lugares mais encantados da região. Único fiorde brasileiro, com águas calmas e cristalinas e ainda preserva populações ribeirinhas em sua extensão.

As gravações na cidade incluem ainda filmagens em uma das cachoeiras da região. Aliás, a região é cheia de belas quedas d’águas. A escolhida foi a Cachoeira de Iriri, no Taquari (20 km da cidade, sentido Rio).

Esse lugar é tão incrível que até os vampiros se encantam.

05 out

BJORK FAZ MÚSICA PARA DUENDES

 Mumin é criação da finlandesa Tove Janssson (1914-2001). Os Mumins são adoráveis seres mitológicos que fizeram grande sucesso na distante Finlândia dos anos 50, quando publicados em tiras de jornais. Tornaram- se talvez, os personagens infantis mais famosos da Escandinávia.

A simpática criatura de traços simples, toda branca, sem boca e  de enormes olhos, é marcante pela imaginação desvairada. Vivem aventuras típicas da imaginação infantil, em que não importam leis do mundo real, mas sim a viagem.

Viraram cult em décadas passadas, quando foram traduzidos para o inglês. 

Hoje, viraram estrelas de filme, com trilha sonora de Bjork. O longa “Moomins and the Comet Chase” (Mumins e a perseguição do cometa, em tradução livre), estreou em agosto na Finlândia. Por aqui, ainda não tem data para chegar.

31 ago

O PIQUENIQUE MAIS MISTERIOSO DO MUNDO

Na lista dos meus filmes favoritos está o estranho “Picnic at Hanging Rock” (Piquenique na Montanha Misteriosa).

O filme é um profundo sonho ou grande delírio, filmado por Peter Weir em 1975. Passado em 1900, conta a história do desaparecimento de um grupo de lindas estudantes do aristocrático Appleyard College, colégio vitoriano australiano para moças. As alunas, acompanhadas de uma professora, somem misteriosamente durante um passeio à montanha de Hanging Rock.  Weir preferiu não explicar o desaparecimento, embora tenha dedicado boa parte do filme às buscas pelas garotas. Tudo está embalado numa delicada atmosfera de transe. E é exatamente isso que é apaixonante. 

As imagens editadas em câmera lenta, a fotografia  e a música, com  canções  à base de flautas, só ajudam o espectador a perder a noção de tempo. Assim como no filme, onde as meninas observam que os relógios de todo mundo pararam de funcionar ao mesmo tempo, ao meio-dia.

Quem gostou de “Virgens Suicídas” de Sofia Coppola, vai descobrir onde ela se inspirou. E pra quem gosta de Stella Mccartney (como eu), vai entender onde ela vai buscar suas referências.

O que aconteceu com as meninas do filme? Não sabemos. Desafie sua imaginação.

Menu Title