09 set

VÁ DE TÁXI-BIKE!

bike1

Que tal pegar uma “Boda Boda” para chegar ao trabalho??

bike1

“Boda- Boda” é um táxi-bike, meio de transporte muito popular no Quênia.

O nome vem da expressão “border-to-border,”  onde contrabandistas usavam bikes para transportar objetos e pessoas, cruzando o Quênia até Uganda.

Mas não pense que eu estou falando de uma simples bicicleta.

As “Boda-Bodas” têm muito estilo: equipadas com sistema de som, bancos forrados, buzinas e muitos acessórios coloridos e muito mais.

Pra quem gosta de bicicleta estilosa!

bike4

bike3

bike2

fonte: Colors Mag

21 ago

SIM, LIXO É ARTE.

artistrash5

Criar instalações tridimensionais com lixo no espaço público.

artistrash5

Essa é a ideia do urbano Francisco de Pájaro, artista que trocou Barcelona por Londres e anda fazendo sucesso por lá.

O projeto, cheio de humor, ironia e acidez,  batizado de Art is Trash / El Arte Es Basura (Arte é Lixo), ganhou destaque na famosa galeria de arte urbana West Bank London Art em exposição solo.

Fique de olho nele e repense no lixo que você produz.

artistrash1

artistrash3

05 fev

BATMAN NÃO BRINCA CARNAVAL

Que tal deixar a preguiça de lado e colocar a mão na massa para fazer uma fantasia simples e criativa neste carnaval?

Esqueça a idéia de sair por aí comprando o look todo prontinho. Entendo que seja prático, mas é bem pouco divertido.

O que se encontra pronto tem sempre a mesma cara e muitas vezes é desconfortável.  A criança parece ter saído de uma loja “made in China” e suará em bicas até a quarta-feira de cinzas, com sua fantasia de poliéster. Ninguém merece.

Separei aqui algumas dicas de fantasias, ou melhor, “disfarces de carnaval”.

Agora não tem desculpa para não cair na folia.

Te encontro no Bloco da Lama,  tradicional aqui de Paraty.

 

11 set

MAMA ÁFRICA – Yes, eles têm bananas, e muitas…

Yaoundé, capital de Camarões.

É daqui que escrevo. Anoto minhas impressões da cidade. Muita coisa diferente.

Os mercados são ao ar espalhados pelas ruas onde os camaroneses vendem de tudo. Os comerciantes deixam tudo no chão a mostra: todo tipo de alimento, carnes, roupas, panelas usadas. Há muito lixo também e o cheiro é péssimo. Higiene: nenhuma!

Tentei fotografar e filmar estes mercadões,  mas assim que tiro a máquina na bolsa, alguém vem  em minha direção exigindo que eu guarde  a câmera e não registre nada. “NO PHOTO, NO PHOTO”.

As crianças estão por toda parte. Escola pública? Não, não existe. Caso a família não tenha algo em torno de R$ 200,00 ANUAIS, para custear os estudos de uma criança, ela estará pelas ruas.

O povo camaronês é também muito alegre e adoram beber. Os bares ficam lotados. A bebida mais consumida são as cervejas locais, vendidas em embalagem de 600ml em temperatura ambiente – cerveja gelada é raridade-  e tomam no gargalo mesmo. Mulheres fumando é outra coisa rara por aqui.

A comida é até que bem parecida com a do Brasil. Yes, eles têm bananas, e muitas…

A fruta aqui é chamada de planton. Está em quase todos os pratos e é feita de diversas maneiras: assada, frita, cozida. Já a carne vermelha, essa é artigo de luxo.

Com a mandioca fazem o batom (foto anexa), uma pasta gelatinosa. Outro prato que degustei foi Calu, uma especialidade do CONGO. É folha da mandioca cozida com peixe desfiado e azeite de dendê.

Os amendoins são as minhas perdições. São vendidos aos montes dentro de garrafas PET.

Nos supermercados encontramos muito produto importado. Vem do Egito, Índia, Tailândia, França e muita coisa do nosso Brasil!

Vi pouco ônibus por aqui, transporte público quase não existe. E é aí que os taxis entram em ação.Os carros são detonados, sujos e a fumaça tóxica paira pela cidade. Os taxistas são imprudentes e as leis de trânsito não existem! Entram em fila tripla, atrapalham o cruzamento, param no meio da rua para pegar passageiros, para descarregar material e buzinam todo o tempo. Verdadeira loucura.

Paula Scarpato – relações públicas de formação, 35 anos, aquariana, com ascendente em leão e lua em sagitário… essa sou eu!!! Após 12 anos atuando em mercado fonográfico e publicitário, resolvi partir para uma experiência que ninguém poderia vivenciar por mim: pedi demissão de meu cargo de Gerente de Marketing. O destino escolhido foi a África, com a missão de trabalhar para os mais necessitados. E assim fui.

16 fev

MAMÃE EU QUERO

Paraty já está em festa.
Por aqui, o carnaval é bem animado.  Desfilam pelas ruas da cidade tradicionais bandinhas tocando marchas dos antigos carnavais, bonecos gigantes feitos de papel mache, o bloco da Lama, e muito mais…
É preciso saber escolher e conhecer um pouco a cidade para não cair em armadilhas do tipo “pega-turistas”. Cuidado.
Sábado passado, começamos a esquentar os  tamborins. Fomos a um simpático bloco do bairro, o Bloco dos Pássaros, que traz enormes bonecos de pássaros sambando pelas ruas do bairro.
Lá fomos nós.  Eu, com um meu barrigão, que mal me permite andar,  e Nina, que não agüentava de tanta ansiedade. Ela ficou fantasiada o dia inteiro, contando as horas.  
Dançamos ao som de “Marcha dos Carecas”, “Chiquita Bacana” e outras. Os pássaros enlouquecidos sacolejavam pelas ruas. Nina gargalhava.
Ela pulou, brincou e dançou. A noite chegou e foi difícil ir embora.
Bom aquecimento para os dias de carnaval que estão chegando.
Nesses próximos dias, ficarei quietinha, em casa. Noel  já está chegando e eu tenho mesmo é que sossegar.
Mas a Nina… essa vai cair na folia.
 
22 ago

ORANGOTANGO À VENDA NO RIO

Tenho mais uma novidade para te contar:

Pulando de galho em galho, a Orangotango chega agora à Cidade Maravilhosa.

Saltamos direto na Gávea e descobrimos  a loja infantil Doudou e rolou uma sintonia.

Perfeito!

Charmosa e delicada, a loja é agora o endereço no Rio de Janeiro onde vc pode encontrar desenvolvimentos exclusivos Orangotango.

Confira!

Doudou

R. Marquês de São Vicente, 124/130

Gávea Trade – RJ

tel. 21-22743814.

05 jul

UM DIA NO MANGUEBEACH

O passeio:

Num domingo com sol de inverno. resolvemos fazer um passeio diferente: andar de caiaque.

Fomos à Praia do Jabaquara, a 600 metros de casa e alugamos dois caiaques.

O destino:

uma praia que adoramos, Barra do Corumbê. Lá tem um quiosque chamado Cheiro de Camarão, que serve comida caseira e maravilhosas casquinhas de siri e moquecas de peixe.

O desafio:

No caminho até Barra de Corumbê, há um manguezal. Ouvimos falar que era possível atravessar todo o mangue de caiaque.

Remando, fomos aos poucos nos afastando da praia. O visual começou a mudar. Tudo ficou mais verde: chegamos a um mangue fechado, e achamos um braço de mar que entrava pelo mato fechado. Incrível. Me senti como se estivesse entrando por uma porta mágica.

E é isso mesmo, é  mágico!

De repente, um silêncio total. Estamos no meio do mangue. Vimos caranguejos vermelhos subindo pelas árvores e lindos pássaros cor-de-rosa: o colhereiro.

Nina estava bem quieta, observando tudo.

Separei algumas fotos, veja só que beleza:

Não deixe de participar da promoção que está rolando aqui no blog: veja aqui.

15 jun

VOCÊ CONHECE A FESTA DA LANTERNA?

Paraty foi escolhida para ser nossa cidade por diversas razões.

É um lugar tão bonito que  nem precisaria muito para nos convencer. Mas “batemos o martelo” mesmo, quando descobrimos uma escola Waldorf por aqui.

Hoje Nina estuda nesta pequena escola Waldorf.

Para quem não conhece, esta pedagogia estimula a imaginação e o lado sensorial das crianças. A afetividade e a criatividade são valores importantes.

Nesta época acontece nas escolas Waldorf a Festa da Lanterna.

Esta festa coincide com a chegada do inverno. Momento de aquietação da natureza,  frio, noites que chegam mais cedo. Neste clima de recolhimento e acompanhando o ciclo da natureza chega o momento de olharmos para nós mesmos, vendo nossa própria luz interior.

Durante a festa, as crianças carregam suas lanternas passeando pelas áreas abertas da escola simbolizando essa luz interior. As próprias crianças confeccionam as lanternas.

Para presentear as crianças, os pais ensaiam um teatro que é apresentado na festa. A história é “A Menina da Lanterna”, onde uma menina simboliza o caminho individual do homem em busca da luz interior.

 Já confessei aqui no blog que não sou grande fã de teatro, mas tudo muda quando se tem um filho e, por ironia do destino, fui escalada para ser  a menina da lanterna deste ano. Topei, ensaiei e apresentei!

Depois da peça, com a noite chegando, todos saem pelo bairro carregando suas lanternas acesas. É um momento especial e carinhoso.Vejam as fotos:

17 mai

NA PRAIA TAMBÉM FAZ FRIO

Depois de tanto calor, nada como uma brisa fresca. O outono está por aqui. 

Os dias andam mais curtos. Os jardins  ficam como um mar, coberto de folhas de todos os tamanhos e cores.

A brisa do mar manda um friozinho. É hora de separar os casacos e as calças mais quentinhas. Dormir de cobertor.

Enquanto isso, o pôr-do-sol anda cada dia mais lindo. E traz com ele cores dramáticas e luzes inesperadas. Adoro isso.

dá uma olhada…

Menu Title