16 jul

NO IPOD DA ORANGOTANGO TEM…DAVID BOWIE APAIXONADO

bowie

Meu “muso” está de volta.

Já não é novidade, Bowie lançou no começo do ano mais um álbum, o lindo e denso“The Next Day”.

Impecável, Bowie não muda, só melhora.  Reaparece com canções que geram polêmicas, criticando o cristianismo, falando sobre guerras, ou com letras contendo mensagens subliminares.

Mas a balada “Valentine´s Day”, ganhou meu coração. Simples e direta.

Ontem a canção virou clipe. Nele, David aparece apenas com sua guitarra, em um galpão industrial, vestindo uma camisa branca e uma calça jeans, cantando e tocando, do início ao fim.

Precisa mais?

Veja você também:

11 jul

Especial Férias: Criatividade nunca é demais.

massinha

E as férias chegaram.

Um mês inteiro pra brincar, sair, viajar, inventar. É hora de usar a imaginação!

Pense em brincadeiras simples. Elas fazem mais sucesso com as crianças.

Resgate cantigas antigas, brincadeiras de roda, pula corda, passa anel e tantas outras.

Descobri uma receita de massinha de modelar feita de gelatina, totalmente atóxica, as crianças podem brincar sem você ficar preocupada.

Adorei!

Então, segue abaixo o modo de fazer. É bem simples e as cores ficam lindas!

Olha só:

Primeiro escolha um sabor de gelatina para cada cor da massinha

O que vamos precisar?

  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1 xícara de água quente
  • 2 colherinhas de sal
  • 2 colherinhas de cremor tártaro
  • 2 colherinhas de óleo
  • 1 pacote de gelatina de 85 gramas

Como se faz?

Numa panela pequena, misture todos os ingredientes, procurando que não fique nenhum grumo na massa. Como você pode ver, aqui foi usada uma batedeira de mão para misturar; ela ajuda muito!

Cozinhe todos os ingredientes a fogo médio até que a massa comece a formar. Irá demorar um pouco para que a massa comece a formar, só continue mexendo para que nada fique grudado no fundo da panela. Você irá perceber quando a massa estiver no ponto porque será impossível continuar mexendo.

Uma vez que a massa estiver cozida, coloque-a sobre uma superfície coberta de farinha de trigo e deixe esfriar.

Depois de que ela esfriar, comece a amassar, adicionando um pouco de farinha de trigo. Amasse até que a massinha deixe de grudar nas suas mãos.

Se desejar, pode adicionar mais um pouco de cor usando corantes de comida. Também podeadicionar gliter para dar um brilho bem bonito.

Na hora de guardar estas massinhas de modelar, coloque cada uma delas num potinho diferente para que não sequem.

Pronto!

Agora você pode tentar fazer e depois me conta se a brincadeira fez sucesso!

um beijo e aproveite as férias!

fonte: oartesanato.com

09 jul

ORANGOTANGO ZEN: É HORA DE RESPIRAR

respirar

Cassia Parmeggiani é mãe apaixonada, professora de yoga especializada em yoga para gestantes e crianças. Aqui ela vai compartilhar com a gente a delícia dos benefícios de uma vida mais equilibrada, saudável e acima de tudo feliz.  

Você já reparou como você relaxa quando respira?

Experimente. Respire profundamente. Pare e observe como seu corpo se sente.

Exercícios de respiração podem ajudar o corpo relaxar, assim como uma boa noite de sono, aliviando o stress, a ansiedade, e melhorando a qualidade de vida.

A respiração profunda é uma das melhores maneiras de reduzir o estresse.

Isso ocorre, porque quando você respira profundamente, envia uma mensagem para o seu cérebro se acalmar e relaxar. O cérebro, então, transmite esta mensagem para o seu corpo.

O aumento da frequência cardíaca, a respiração acelerada, e pressão arterial elevada, diminuem à medida que você respira profundamente aprendendo a relaxar.

Esta se perguntando por onde começar?

Abaixo algumas dicas para você dar o primeiro passo.

Olhe para você.

O diafragma é o principal motor da respiração. À medida que inalamos, este músculo abobadado desce em direção ao abdome, deslocando os músculos abdominais e inchando suavemente a barriga.

Nos momentos de estresse é comum a tensão da parte superior do tórax, músculos dos ombros e um nó na garganta. Quando estamos em repouso, os músculos da parte superior do tórax permanecem soltos e relaxados e quando nós respiramos o verdadeiro trabalho ocorre na caixa torácica inferior. Para promover este tipo de padrão de respiração conscientemente devemos relaxar a mandíbula, garganta, pescoço e ombros, e imaginar a respiração atingindo as partes mais profundas dos pulmões.

O ritmo alternado das inspirações e expirações deve ser como uma canção de ninar suave, macia e ininterrupta que aprofunda nosso sentimento de paz e tranquilidade.

Quando estamos estressados, nossas exalações tendem a ser curtas e rápidas.  Quando estamos relaxados, porém, as exalações são muitas vezes mais longas.

Para ficarmos mais e mais relaxados, cada exalação deverá ser duas vezes mais longa a inalação.

O final de cada exalação, é pontuado por uma pequena pausa, que pode ser profundamente gratificante e pode evocar sentimentos como a calma e quietude.

Respire com o corpo todo. Quando estamos à vontade, todo o corpo participa do processo de respiração.

Imagine um bebê dormindo: quando ele inspira e expira, a barriga incha, os quadris se abrem, os ombros se soltam, a coluna vertebral ondula suavemente. Isto oferece uma mini-massagem para os músculos e órgãos do corpo inteiro, e transforma cada respiração em uma melodia suave que acalma todas as células do corpo.

Namastê

Cassia Parmeggiani

cassia

Conheça mais aqui: Pequenos Yogis

08 jul

As Misteriosas Mulheres de Bec Winnel

winnel5

Bec Winnel é uma artista autodidata.

Vive na Austrália e ilustra detalhados retratos femininos.

Com traço suave e delicado, ela desenha rostos e elementos da natureza com ares de outros tempos, cheios de nostalgia.

E é este tom nostálgico e misterioso, de mulheres mergulhadas em uma névoa fria, que me encanta. Essa cara de anos setenta e de magia que Winnel dá em tudo que faz.

Brinca com lápis de cor, pastel e tintas aguadas.

 

muito mais aqui: Bec Winnel

04 jul

Baila comigo, como se baila na tribo

dance2

Convidei uma amiga muito especial para falar um pouco da dança na primeira infância.

Ana Paula Mastrodi é mãe, bailarina e professora de dança formada pela Unicamp, com longa experiência na área de ensino da dança.  Trabalha com o método de Reeducação do Movimento de Ivaldo Bertazzo.

Espero que você goste!

“Toda criança pequena adora dançar! Minha filha Sofia de dois anos e meio vive pulando, girando e batendo palmas espontaneamente, liberando toda sua energia  e expressão em forma de movimento. Então o que ensinar, se elas já dançam naturalmente?

O ensino de dança para crianças deve ir além da “expressão livre e espontânea”, sabendo que isso já é inerente a elas, mas deve propor um aprendizado que traga experiências concretas do fazer, sentir e pensar a dança em suas vidas. Segundo Isabel Marques, doutora em dança-educação, o professor precisa propor atividades onde a criança não apenas brinque com o seu repertório de movimento, mas que consiga criar novos, estabelecendo relações com o mundo em que vive, compartilhando com seus amigos.

A dança desenvolve as habilidades sensório-motoras das crianças. Não apenas para trabalhar as características físicas e emocionais das mesmas, mas para fazer com elas entendam e  compreendam , no momento em que dançam, quem se move (pessoa), o que está se movendo (parte do corpo),  aonde se move  (espaço), como se move (qualidade do movimento) e por que se move ( intenções, desejos, razões).  Só assim o aprendizado sai da experimentação e vira conhecimento.

Crianças pequeninas aprendem pela imitação. Por isso, o professor deve criar atividades onde o modelo de corpo e movimentos não se centralize nele, mas que possa ser compartilhado por todos, assim, as referências serão múltiplas e o aprendizado muito mais rico.

Histórias e canções são sempre bem vindas, pois criam um ambiente lúdico, onde as crianças aprendem com muito mais facilidade.

Aprender dança brincando é muito divertido!”

Ana Paula Mastrodi

Maiores informações ligar : 989079331 ou 38840539.

Aulas: quintas feiras, das 16:00h às 17:00h, a partir de agosto de 2013.

no Instituto Barreiros de Fisioterapia, rua Pedroso de Morais, 2356,

Alto de Pinheiros, SP.

02 jul

Chapada Diamantina também é coisa de criança

pati

Voltamos recentemente de férias na Chapada Diamantina (Bahia), acompanhados de nossa filha Nina, cinco anos.

A viagem virou uma aventura pelo Vale do Pati.

Contei sobre a viagem no site Viajando com Pimpolhos, da querida amiga Sut-Mie. E agora divido o texto com vocês também.

Espero que gostem!

vale do pati

Somos uma família aventureira e adoramos viajar com nossos filhos, Nina e Noel.

A Chapada Diamantina, na Bahia, sempre esteve em nossos planos. Mas como explorá-la com filhos pequenos? Alguns amigos que conheciam a Chapada nos disseram que talvez fosse melhor esperar os pequenos crescerem.

Mas a vontade era tão grande que resolvemos arriscar e partimos rumo à Chapada com a Nina, que completaria cinco anos. Noel, que em pouco mais de um ano, ficou com os avós.

A Chapada Diamantina é um verdadeiro parque de diversões a céu aberto. É um lugar encantador e tem uma mágica especial.  E garantimos: é possível – e uma delícia – visitá-la com crianças.

Conhecemos cavernas, cachoeiras e rios. Fizemos escaladas e muitas caminhadas.

Uma natureza bem diferente da paisagem litorânea a que estamos acostumados (vivemos em Paraty , litoral do Rio de Janeiro).

Para quem topa aventura é um prato cheio.

A viagem

Nos primeiros dias, optamos por roteiros mais leves e passeios mais curtos. Bem próximo ao centro de Lençóis,  visitamos os famosos caldeirões de águas avermelhadas, o  salão de areias coloridas e a cachoeira da Primavera.

No dia seguinte, seguimos para uma aventura mais longa num roteiro de um dia inteiro, com um guia experiente e com muito jeito com crianças, o que foi bem importante!

Era dia de visitar a caverna e a Nina estava a mil. A Gruta da Lapa Doce é mesmo uma maravilha. Silêncio absoluto, escuridão, estalactites. Foi emocionante.

Fizemos uma pausa para um almoço em restaurante de beira de estrada, com direito a provar um cacto refogado, bem típico da região, chamado Palma.

Seguimos para a Pratinha. Um lago cristalino, de um azul vivo, e uma tirolesa de 12 metros de altura que brilhou aos olhos da Nina. Lá foi ela: sem titubear, saltou!

Para finalizar, um lindo final de tarde ensolarado e uma subida ao famoso Morro do Pai Inácio, com vista 360 graus de toda a Chapada.

E foi neste final de dia percebemos que daria para seguir viagem até o destino que realmente queríamos conhecer: o Vale do Pati. Era preciso disposição e muita “canela”. Nina passou no teste e resolvemos encarar.

O tão sonhado Vale do Pati –  três dias de passeio.

pati4

O Pati é um imenso vale, cravejado de morros de pedra gigantescos. No fim da tarde, o sol bate nos morros e espalha uma coloração avermelhada por todo o vale. Lindo demais.

Fica escondido no meio do Parque Nacional da Chapada Diamantina. É uma longa caminhada a pé.  Passamos por áreas planas, porém em muitos momentos o ”trekking” é feito de subidas e descidas íngremes e até escaladas. É experiência única.

Passar três dias isolados, com longas horas caminhando silenciosamente pela natureza, aonde os carros não chegam, não existe sinal de celular ou internet.

Foram 14 quilômetros, em uma versão “light” para crianças. Sete horas de caminhada (seriam quatro sem crianças, nos disse o guia) e mais sete horas na volta, com pernoites na casa de moradores locais.

Dormimos na casa de Seu Wilson, famosa entre os visitantes do Pati. É um lugar muito simples, com chão de barro, mas a comida é sensacional e a hospitalidade também. Adoramos.

Viagem inesquecível, que vai ficar guardado para sempre em nossas vidas.

A Chapada é demais!

O texto completo você pode ler aqui: Viajando com Pimpolhos.

 

Menu Title