19 mai

ELA É MINHA MENINA

Ela agora é uma menina de três anos e pouco.

Menina?  Onde está o nosso bebê??!!

Esta semana, enviamos para parentes e amigos algumas fotos dos últimos meses por aqui. Fazemos isso de vez em quando: juntamos umas fotos que gostamos, sem qualquer ordem, só mesmo pra matar as saudades e dividir nosso dia-a-dia.
E todos respondem contentes ao receber notícias daqui. Uma delícia.

Na leva desta semana, recebo dois emails bem curiosos… Duas pessoas (muito queridas) me comunicam que Nina já não parece mais um bebê. 

Já é uma garotinha. Duas pessoas? Deve ser verdade!

Eu, desconfiada, fui conferir as fotos que mandei.

Sim, ela é uma pequena menininha.

E essa menina nos surpreendeu mais uma vez: sentada ao nosso lado, com papel e lápis na mão, faz alguns rabiscos. E no meio de tantos papéis rabiscados, dois chamam a nossa atenção.

– Nina, o que é isso? perguntei. – Um menino! ela respondeu.

– E este outro? – O rosto do menino, mãe!

17 mai

NA PRAIA TAMBÉM FAZ FRIO

Depois de tanto calor, nada como uma brisa fresca. O outono está por aqui. 

Os dias andam mais curtos. Os jardins  ficam como um mar, coberto de folhas de todos os tamanhos e cores.

A brisa do mar manda um friozinho. É hora de separar os casacos e as calças mais quentinhas. Dormir de cobertor.

Enquanto isso, o pôr-do-sol anda cada dia mais lindo. E traz com ele cores dramáticas e luzes inesperadas. Adoro isso.

dá uma olhada…

11 mai

ERA UMA VEZ…

Para quem gosta de desenhos, as ilustrações de Kareena Zerefos são um colírio.
Com um lápis 2B na mão, ela combina o desenho tradicional com técnicas das artes gráficas, em projetos para música, moda e publicidade.
Sonhadora e perfeccionista, a designer australiana nos deixa com vontade de fugir para o mundo do faz-de-conta, e de lá não voltar.
Chega de falar. Dê uma olhada nos desenhos dela…
09 mai

DIGA ADEUS AO QUARTO ROSA

“O  mundo infantil é muito mais que  o branco, o  rosa e o azul claro”.

Essa frase me conquistou.
Assim eu encontrei a Roberta, autora da frase acima e dona da Cosumann. Virei fã da marca.
A Cosumann desenvolve móveis para os pequenos. Tudo de um jeito que adoro: funcional, de linhas simples, e muito colorido.
Em um mundo de exageros, a marca busca um design alegre com formas objetivas. Quem precisa de mais?

Ah, não poderia deixar de citar que Roberta também é uma apaixonada por Paraty. E foi assim que nos conhecemos pessoalmente!

06 mai

SARAMAGO E O AMOR DE MÃE

Ando em falta com este espaço aqui.
A semana voou e várias coisas legais vêm acontecendo com a Orangotango.
Mas eu não poderia deixar de escrever sobre o Dia das Mães.
Recebi esta semana de uma grande amiga, a Dani, um texto do Saramago. Li e me emocionei muito.
Na verdade, acho que já tinha lido este texto em um outro momento. Mas, quando li, não era ainda mãe.
Hoje, às vésperas de meu terceiro Dia das Mães, o texto soou diferente. 
Ok, Saramago, vou tentar. Juro que vou tentar!!!

Copiei aqui o texto. Obrigada Dani.

Feliz dia das mães!

Filhos são do mundo. Devemos criar os filhos para o mundo. Torná-los autônomos, libertos, até
de nossas ordens. A partir de certa idade, só valem conselhos.
Especialistas ensinaram-nos a acreditar que só esta postura torna adulto
aquele bebê que um dia levamos na barriga. E a maioria de nós pais
acredita e tenta fazer isso. O que não nos impede de sofrer quando fazem
escolhas diferentes daquelas que gostaríamos ou quando eles próprios
sofrem pelas escolhas que recomendamos.

Então, filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de
como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores
defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter
coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém
pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da
incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado.

Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo! Então,
de quem são nossos filhos? Eu acredito que são de Deus, mas com respeito
aos ateus digamos que são deles próprios, donos de suas vidas, porém, um
tempo precisaram ser dependentes dos pais para crescerem, biológica,
sociológica, psicológica e emocionalmente.

E o meu sentimento, a minha dedicação, o meu investimento? Não deveriam
retornar em sorrisos, orgulho, netos e amparo na velhice? Pensar assim é
entender os filhos como nossos e eles, não se esqueçam, são do mundo!

Volto para casa ao fim do plantão, início de férias, mais tempo para os
fllhos, olho meus pequenos pimpolhos e penso como seria bom se não
fossem apenas empréstimo! Mas é. Eles são do mundo. O problema é que meu
coração já é deles.
Santo anjo do Senhor…

É a mais concreta realidade. Só resta a nós, mães e pais, rezar e
aproveitar todos os momentos possíveis ao lado das nossas ‘crias’, que
mesmo sendo ‘emprestadas’ são a maior parte de nós !!!

“A vida é breve, mas cabe nela muito mais do que somos capazes de viver ”

José Saramago

Menu Title