22 dez

ADEUS ANO VELHO, FELIZ ANO NOVO

Final de ano passa depressa. Quando a gente vê, já é Natal e Ano Novo.

Olha aí, chegou!

Vou tirar alguns dias de férias aqui do blog e volto na primeira semana de janeiro. A loja da Orangotango continua aberta.

Agradeço a todos que passaram por aqui. Em 2011 tem mais. Me aguarde!

Feliz Ano Novo!

21 dez

NO IPOD DA ORANGOTANGO TEM… EMERALDS

O cósmico trio de Cleveland, Emeralds, traz para a Terra um pouco do espaço sideral. Com um som que é fruto da música eletrônica ambiente e da psicodelia 70’s, a banda cria uma atmosfera minimalista e experimental.

Steve Hauschildt, John Elliot e Mark McGuire fazem com sintetizadores e guitarras um som para se ouvir deitado. São sobreposições de texturas e camadas que vão suavemente nos hipnotizando.

É uma deliciosa experiência. Não sai do meu Ipod. Confira:

19 dez

PAIS APRESSADOS, FILHOS SEM IMAGINAÇÃO

  

Outro dia li uma manchete que dizia: “Livros infantis perdem espaço nas prateleiras”.

Pode me chamar de louca, mas pensava que o mercado infantil estava em alta. Na verdade, está!  Hoje, este segmento  é levado bem a sério e cresce a cada dia.

Então o que acontece com os livros?

Livro ilustrado, com ilustrações chamativas, cores alegres e letras de tamanho grande, perdem espaço nas prateleiras. As editoras já reduzem o número de lançamentos e dizem que este tipo de livro está em baixa. O motivo? Acreditem: a culpa é dos pais.

Os pais começam a pressionar os filhos em idade pré-escolar e primeira série escolar a abrir mão dos livros ilustrados em favor de livros com mais textos e histórias divididas em pequenos capítulos. É uma pressão dos pais para as avaliações escolares cada vez mais rigorosas  e a vontade de preparar bem o filho para o futuro. Aquele orgulho de saber que o filho já sabe ler.

Mas onde fica a imaginação no meio de tudo isso? Sempre pensei que um livro com ilustrações nos força a treinar a nossa capacidade de imaginação, criatividade e abstração. E que de ilustração em ilustração, interagimos com o livro, e a imaginação vai preenchendo as lacunas.

E quem disse que livros com mais textos, parágrafos completos e menos imagem são necessariamente mais complexos que os ilustrados? Penso que o vocabulário de um livro ilustrado pode ser bem mais difícil que o de um livro com mais texto.

Quando li tudo isso, lembrei da cara de felicidade que a Nina faz aqui em casa quando chega a hora de dormir. É a hora da história. História que o papai sempre conta para ela dormir. É sempre uma história inventada naquela hora. Ela adora. Fica cheia de curiosidade. Fantasia situações, faz perguntas, emite opiniões e embarca no sono.

Tudo tão imaginativo…

14 dez

VOCÊ SABE COMO NASCEM OS BICHOS?

    

Tudo começou com uma idéia bem simples: fazer bichos em tecidos para a Nina. Chega daquele monte de brinquedo de plástico, com caixas enormes, pilhas e luzes para tudos os lados. A vontade era de fazer para ela bichos bem delicados e alegres. Com bordados a mão e cara de que poderiam ter sido feito pelas nossas avós.

E daí começou. Fizemos um, dois, três, um monte deles e ela adorava. Elegia o mascote da vez e brincava até escolher um novo preferido.

Quando montei o projeto da loja, lembrei destes toys  e decidi que eles tinham que entrar na coleção. Assim como a Nina amava, outros também poderiam amar.

Os bichos por aqui nascem assim.

  

09 dez

NINA JOGOU A MAMADEIRA NO LIXO

Dá até um aperto no coração. A Nina já não é mais um bebê.

Nina já não usa fraldas durante o dia,  faz xixi no pinico, não dorme mais no berço, não usa chupeta. E agora não toma mais leite na mamadeira.

Semana passada, fizemos um teste: “Acho que teremos que dar um tchauzinho para suas mamadeiras, afinal isso é coisa de bebêzinho” – dissemos. Ela, que está num momento anti-bebê, repete sempre que já é uma menina e achou legal dar um tchau para os “mamás”.

Fizemos por aqui um ritualzinho para esta despedida. Um beijo em cada mamadeira e ela mesma foi quem as colocou no lixo. Meio desconfiada, olhava para a nossa cara. Mas, no fim, jogou mesmo. .

Para a nossa surpresa, quando chegou a noite, ela pediu uma mamadeira, mas logo em seguida, lembrou: ” Ai, esqueci, joguei no lixo!”

E fim. Não pediu mais.

Acho que a Nina tem toda razão. Está mesmo virando uma menina.

07 dez

NASCEU A ORANGOTANGO!

  

Hoje é um dia especial. Está no ar a loja da Orangotango. Tudo começou há mais de um ano, quando resolvi largar meu emprego e colocar de pé um projeto só meu.

Começava aí a Orangotango. Uma loja voltada aos bem pequenos e nada tradicionais.

É isso! Eu tinha vontade de fazer algo diferente do que encontrava no mercado. Produtos que queria para a Nina e que não encontrava em lojas.

A loja está dividida em três principais categorias: decoração, roupas e acessórios.

A decoração de quarto foi a primeira idéia. O cliente pode montar um jogo de quarto completo, escolhendo a combinação de cores e estampas. É só encomendar e te entregamos em casa.

O item “Roupas” veio logo em seguida. Sentia vontade de desenvolver coleções. Neste item, você também pode conhecer e comprar as peças da coleção Camaleão, todas com tingimentos e estampas de técnicas africanas e asiáticas feitas uma a uma.

Acessórios são bichos em tecidos e travesseiros todos feitos manualmente. Tudo bem delicado, colorido e aconchegante.

Isso é só o começo. Espero que gostem!

06 dez

O QUE OS ASTROS DIZEM SOBRE SEU BEBÊ?

  

Adoro astrologia. Sou mesmo chegada no assunto. Faço meu mapa atral todo ano.  Quando a Nina nasceu, lá estava eu para fazer o mapa astral dela.

Mas confesso que não conhecia um serviço especializado em astrologia infantil. Até agora.

Descobri a Astral Kids – uma empresa toda voltada para o mundo astrológico da criança de zero a dez anos . Eles oferecem vários serviços:  mapa astral, mapa numerológico, astralbook (uma espécie de scrapbook astrológico), e outros.

Mas afinal, para que serve? Conversei com a Tatiana Magalhães, astróloga, mãe de uma menina de 3 anos e responsável pela Astral Kids. Ela me contou um pouco mais.

“A astrologia é uma grande aliada na busca pelo auto-conhecimento. Isto porque para este saber milenar, cada nascimento traz um significado. O bebê, ao nascer, traz no seu mapa celeste todo seu ‘relatório de vida’. E cada nascimento tem uma combinação específica entre signos, planetas e aspectos, mostrando a personalidade única daquela criança em particular.

Pode ser usada como  uma importante ferramenta para pais, educadores ou qualquer pessoa que tenha o universo infantil presente em seu dia a dia. Entender a criança como um ser único, que possui características próprias e que devem ser valorizadas e estimuladas desde cedo.”

Fica a dica! Visite o site, é uma graça!

www.astralkids.net

03 dez

NO IPOD DA ORANGOTANGO TEM… WARPAINT

  

Elas são um estiloso quarteto de rock experimental.

E o som das Warpaint, formado por  Emily Kokal (vocal/guitarra), Theresa Wayman (vocal/guitarra), Jenny Lee Lindberg (baixo/vocal) e Stella Mozgawa (bateria) mais parece um caldereirão de misturinhas pós-punk.

Pegue um pouco de  Joy Division, uma pitada de  Cure, uma porçãozinha de  Echo and the Bunnymen. Ah, dizem por aí também  que Warpaint é um Foals de saias.

Gosto disso, e você?

Bom final de semana. Terça-feira a loja está no ar. Te espero.

01 dez

BEBÊS TAMBÉM GOSTAM DE MASSAGEM

    

Ainda grávida, ganhei de uma amiga um livro chamado “Shantala – Massagem para Bebês!. Pra mim tudo era novidade. Nunca tinha ouvido falar de shantala. Fiquei encantada com a tal massagem indiana para bebês.

Assim que a Nina nasceu, nos matriculamos num curso. Chegamos numa sala repleta de mães com seus bebês. Só mães. Pais, nenhum. Só o da Nina. Será que só a mãe pode fazer? Achamos bem curioso.

A professora adorou a presença de um homem na palestra e falou coisas que nunca mais vou esquecer:  a importância e a diferença do contato feminino e masculino para o bebê, a maneira delicada com que a mãe segura e acaricia, e a ousadia e força que o pai transmite. Gestos que ficam guardados para sempre na memória da criança.

Fizemos o curso e praticamos muito com a Nina. É demais! Ela ficava feliz e safisteita com a massagem. Carinho misturado com massagem. Ah, ainda era um grande alívio para as cólicas dos primeiros meses…

Algum tempo se passou. Nina cresceu. Já não pratico mais com ela (ela não pára quieta mais).  Tenho saudades desses momentos. 

Conheci recentemente Denise Gurgel, uma outra professora de shantala que me fez relembrar destes momentos. Ela me contou um pouco de sua experiência com a shantala. Formada em fisioterapia, atuou na área de neuropediatria usando a shantala como uma forma de aproximar o contato com as crianças. Aos poucos, foi deixando de clinicar para se dedicar só aos estudos da shantala e a estimulação sensorial de bebês que a massagem oferece.

Shantala Denise Gurgel: www.cursoshantala.com.br

Menu Title